O menino no alto da montanha - John Boyne

Sempre que tenho ressaca literária recorro aos livros do Jonh Boyne. Desde que li O menino do pijama listrado e Fique onde está e então corra, percebi que o autor nunca me desaponta. Gosto como ele pega e transforma a temática de guerras em pano de fundo para ótimas tramas, quase sempre surpreendentes e inesquecíveis.

Quando Pierrot fica órfão, precisa ir embora de sua casa em Paris para começar uma nova vida com sua tia Beatrix, governanta de um casarão no topo das montanhas alemãs. Mas essa não é uma época qualquer: estamos em 1935, e a Segunda Guerra Mundial se aproxima. E esse não é um casarão qualquer, mas a casa de Adolf Hitler. Logo Pierrot se torna um dos protegidos do Führer e se junta à Juventude Hitlerista. O novo mundo que se abre ao garoto é cada vez mais perigoso, repleto de medo, segredos e traição. E pode ser que Pierrot nunca consiga escapar.

Em O menino no alto da montanha temos como personagem principal Pierrot, um garotinho que vive em Paris com o pai alemão martirizado pela Primeira Guerra Mundial, a mãe, seu cachorro e o amigo Anshel, um garoto judeu e surdo. Após perder o pai e logo em seguida a mãe, Pierrot se ver um garoto órfão e sozinho no mundo. Sem muitas escolhas, a solução acaba ser mandado para um orfanato. Em seu novo lar, a vida do menino não é nem um pouco fácil, mas para sua surpresa, sua tia Beatrix resolve leva-lo consigo para uma casa onde é governanta, afim de lhe dar uma vida melhor. O que Pierrot não esperava era a casa ser de Hitler e nem como a sua presença afetaria sua vida a partir do momento que entrasse pela porta da casa que fica no alto da montanha.

O livro é dividido em três partes, onde na primeira temos um Pierrot ainda inocente antes da guerra, e logo em seguida na segunda e terceira partes vemos a transformação do garoto durante e depois da guerra. Onde antes tínhamos um personagem doce, agora conforme cresce na casa de Hitler e sob sua influência, presenciamos a mudança de caráter de Pierrot, as suas escolhas que em seguida afetam os que estão mais próximos, como sua tia e amigos, e o seu envolvimento com os ideais de Hitler e do nazismo. John Boyne criou um personagem onde o leitor tem uma relação de amor e ódio.

A leitura é envolvente, principalmente para quem gosta do cenário em que se passa. John Boyne criou uma história simples, que prende nossa atenção do inicio ao fim, e sobretudo, bastante reflexiva em se tratando da maldade do homem, a que ponto o ser humano pode chegar ao ter poder, e nesse quesito a leitura se torna angustiante, pois somos meros expectadores sobre o que acontece na vida dos personagens. O menino no alto da montanha é uma história cativante, rápida de ser lida e principalmente triste, porém com um ótimo final.

Comentários